Domingo, 22 de Outubro de 2006

Saneamento em Mouriscas

O cenário é sempre o mesmo. Os esgotos correm a céu aberto em vários locais da freguesia de Mouriscas. Por isso, os mourisquenses mostram-se indignados e consideram a situação inaceitável.

Este povo manifestou, em tempos, o seu sentimento de revolta, entregando, na Câmara Municipal de Abrantes, a 14 de Julho de 2003, quatrocentos e oitenta e dois ofícios-circulares, cujos signatários reclamavam a suspensão da tarifa de saneamento e o reembolso de todas as importâncias pagas, uma vez que a taxa cobrada e indexada ao consumo de água é, segundo os juristas Gomes Canotilho, Vital Moreira e Joaquim Aguiar, ilegal, injusta e inconstitucional, porque a autarquia cobra um serviço que não presta a muitos consumidores.

Com efeito, o Município tem pleno conhecimento que os Casais da Igreja e Venda da freguesia de Mouriscas estão abrangidos por saneamento público, cujos esgotos desaguam a céu aberto no lugar do Senhor dos Aflitos, onde o cheiro nauseabundo e pestilento exalado pela atmosfera constitui factor de risco ambiental. Embora, o Casal da Carreira desta freguesia possua, há muitos anos, um colector público de esgotos, os seus moradores têm sucessivamente sido preteridos na ligação ao respectivo colector, porque ainda não fora construída a ETAR no lugar do Senhor dos Aflitos. Os restantes casais da freguesia são servidos pelo sistema de fossas e há mesmo casas sem fossas e saneamento. Além disso, há outros casais, onde os esgotos correm a céu aberto, nomeadamente Engarnais, Ferrarias, Jogo da Bola, Cotovelo, etc.

A caça ao voto levou em sucessivos anos de eleições, por um lado ao endividamento da Câmara em vinte e dois milhões de euros, e por outro à pavimentação de algumas ruas que, mais tarde, serão esventradas para a instalação daquela infra-estrutura. Quem paga este custo? Serão os políticos que nos governam? Todavia, alguns destes senhores deslocam-se em carros de luxo pagos com o dinheiro dos nossos impostos e taxas, enquanto esta freguesia possui ainda ruas e largos térreos ao nível do terceiro mundo.

Este quadro de subdesenvolvimento mostra que os esgotos correm a céu aberto em vários locais da freguesia de Mouriscas, a cobrança da taxa de saneamento não corresponde a qualquer contrapartida de serviços por parte do município, uma vez que o serviço de limpeza de fossas não é efectuado a muitos consumidores. Por isso, não se justifica, à priori, a cobrança da referida taxa. Urge dotar a freguesia de uma rede de saneamento básico.
João Sécio
publicado por matos_s às 22:22
link do post | comentar | favorito
2 comentários:
De José Pedro a 3 de Agosto de 2007 às 12:40
Aplaudo com as 2 mãos o seu comentário.


De matos_s a 6 de Agosto de 2007 às 12:49
Obrigado , os mourisquenses de gema devem todos dar a cara aos nossos interesses colectivos.
Eu não sou mourisquense , mas os meus familiares são. Todos devemos lutar pelos nossos interesses.
João Sécio


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Novembro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


.posts recentes

. OS SINOS DOBRARAM A FINAD...

. Mouriscas - Festas em Hon...

. INCÊNDIO EM MOURISCAS - 2...

. LEGISLAÇÂO SOBRE A PLANTA...

. FESTAS DE S. SEBASTIÃO 20...

. A Festa de S. Simão

. Saneamento em Mouriscas

. IN MEMORIA - Pe. João M...

. As Festas de S. Sebastião

. A CAPELA DE NOSSA SENHORA...

.arquivos

. Novembro 2008

. Março 2008

. Outubro 2007

. Julho 2007

. Abril 2007

. Fevereiro 2007

. Outubro 2006

. Julho 2006

. Abril 2006

. Fevereiro 2006

. Dezembro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Fevereiro 2005

blogs SAPO

.subscrever feeds