Domingo, 22 de Abril de 2007

FESTAS DE S. SEBASTIÃO 2007

1- Festividades – O provérbio popular – por S. Sebastião (20.1), laranja na mão – reflecte, no Inverno, a actividade agrícola: colheita das laranjas e poda das árvores. Este trabalho rural associa a realização das festas em honra de São Sebastião, padroeiro da freguesia de Mouriscas.

Os festejos – momentos de oração, reflexão, reconciliação, dádivas e animação – ocorreram no dia 20 de Janeiro. Têm um sentimento acentuadamente religioso e a sua origem secular perde-se na bruma dos tempos. Baseados na tradição rural, nos usos e costumes e na riqueza popular, têm ao longo dos tempos mantido características religiosas, históricas, culturais e sociais únicas e constantes.

Assim, teve lugar, no dia 21, a celebração eucarística, acompanhada pelo grupo coral e presidida pelo padre Francisco José Esteves Valente, pároco das freguesias de Mouriscas, Alcaravela e Santiago de Montalegre. Seguiu-se a grande procissão da Igreja Matriz para a Igreja Matriz, no Casal da Igreja, na qual se incorporaram a irmandade, o S. Sacramento, a imagem de S. Sebastião, outros santos, doze fogaças representativas de vários casais, o cortejo religioso que formou duas filas, a Banda Filarmónica Mourisquense e outros fiéis da comunidade de Mouriscas.

Pelas 16, 00 H, iniciou-se a venda de fogaças e o concerto pela Banda Filarmónica Mouris¬quense.

2 – S. Sebastião, a História – De acordo com vários historiadores (entre outros, o Cardeal Nicholas Wiseman) e em texto que adaptei: São Sebastião é um dos mártires mais conhecidos da antiguidade. Historicamente estão demonstrados: o seu martírio em Roma, no fim do século III ou princípios do século IV, a sepultura nas catacumbas, a data antiquíssima (20 de Janeiro) da sua festa e a popularidade do seu culto desde o século IV, mas principalmente desde a Alta Idade Média por ter sido tema entre os pintores renascentistas que o representavam “atado à árvore nu e cravado com setas”.

O relato do seu martírio (Passio Saneti Sebastiania) foi escrito século e meio depois dos acontecimentos, baseado nas chamadas Actas de Santo Ambrósio.

Julga-se que São Sebastião era natural de Narbona ou Milão, oficial da Guarda Imperial, em Roma, no tempo dos Imperadores Dioclecianos e Maximiano.

Apesar do seu cargo, converteu-se ao Cristianismo, difundiu a Fé e protegeu os Cristãos necessitados, convertendo muita gente.

Descoberto, foi sentenciado à morte e supliciado com setas. Tido por morto, abandonaram-no os arqueiros. Curado milagrosamente apresentou-se diante do Imperador proclamando a sua fé. Este mandou-o açoitar até morrer, sofrendo por isso, um duplo martírio.

S. Gregório Magno considera o soldado um mártir.

São Sebastião é considerado o terceiro Padroeiro de Roma, depois dos Santos Apóstolos Paulo e Pedro.

Os fiéis invocam-no, desde a antiguidade, como advogado “especial” contra as pestes e epidemias.

3 – As festas em honra do Mártir S. Sebastião terminaram com o leilão das fogaças. O seu produto financeiro reverte a favor do património paroquial.

João Sécio
publicado por matos_s às 15:28
link do post | comentar | favorito
1 comentário:
De maria a 2 de Junho de 2007 às 00:52
Olá as coisas que tu sabes , gostei do que li..
beijinhos


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Novembro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


.posts recentes

. OS SINOS DOBRARAM A FINAD...

. Mouriscas - Festas em Hon...

. INCÊNDIO EM MOURISCAS - 2...

. LEGISLAÇÂO SOBRE A PLANTA...

. FESTAS DE S. SEBASTIÃO 20...

. A Festa de S. Simão

. Saneamento em Mouriscas

. IN MEMORIA - Pe. João M...

. As Festas de S. Sebastião

. A CAPELA DE NOSSA SENHORA...

.arquivos

. Novembro 2008

. Março 2008

. Outubro 2007

. Julho 2007

. Abril 2007

. Fevereiro 2007

. Outubro 2006

. Julho 2006

. Abril 2006

. Fevereiro 2006

. Dezembro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Fevereiro 2005

blogs SAPO

.subscrever feeds